Latência

Uma crônica de Paulo Bittencourt Venho apenas dizer-te da carta por escrever – Marta Chaves Desperto. E à luz do primeiro raio de sol que penetra através da janela recobro a consciência que estivera por alguns instantes suspensa em universo onírico. Conforto, serenidade? Não. Desespero, ansiedade? Ainda não. Latência. Estado não manifesto do meio; inatividade [...]