Fractal

Um poema surrealista de Paulo Bittencourt O pensamento como quebra-cabeças de vidro estilhaçado que me corta a cada movimento de peças e cujo encaixe é ilimitado para extrair dos meus dedos o pouco de sangue que lhes resta. Dar ao oceano a medida certa de urina para salgar-lhe o sexo reptício das areias submarinas cristalizar [...]

O Palácio de Cristal

Um conto de Paulo Bittencourt Os portões do Palácio de Cristal estavam intactos, mesmo seus arredores estando completamente arruinados. Apesar de os escombros dificultarem a chegada até os arcos metálicos que circundavam a entrada, o fenômeno era misterioso de uma maneira tal que se me apresentava irresistível em seu convite. Com um pouco de esforço [...]

Lirismo enquanto doença

Texto por Otávio Moraes Na nossa cultura, o conhecimento (segundo uma antinomia que Aby Warburg acabou diagnosticando como a “esquizofrenia” do homem ocidental) está cindido entre um pólo estático-inspirado e um pólo racional-consciente, sem que nenhum dos dois consiga reduzir integralmente o outro.– Giorgio Agamben, em Estâncias   No poema “Num monumento à aspirina” é possível [...]

O Túmulo de Eros

Trilhar um caminho que consiga fazer encontrarem-se pensamento e escrita. Essa é a função a que me dedico quando me ponho, vez ou outra, frente a essa atividade. Sair de um emaranhado fragmentado e incompreensível de ideias e sensações amalgamadas para a organização funcional da comunicação. Não, não se pode restringir o estado bruto do [...]

Latência

Uma crônica de Paulo Bittencourt Venho apenas dizer-te da carta por escrever – Marta Chaves Desperto. E à luz do primeiro raio de sol que penetra através da janela recobro a consciência que estivera por alguns instantes suspensa em universo onírico. Conforto, serenidade? Não. Desespero, ansiedade? Ainda não. Latência. Estado não manifesto do meio; inatividade [...]

Ode ao humor

Fascinante experiência é ver-se através de um espelho! A produção virtual de uma realidade, na qual se reflete de forma mais ou menos precisa a imagem própria do indivíduo, sem dúvidas lhe provoca alguma espécie de inquietação. Essa ocorrência — que por vezes se dá nas mais fugazes das circunstâncias, como que numa espera dentro de [...]

“O sequestro”, um conto de G. R. Martins

No dia em que faz setenta anos, Isaac tem sua vida transformada pela Touchless, empresa de tecnologia espacial, que instala em sua casa um assistente digital doméstico de última geração, chamado Alex. Acostumado à sua vida pacata e senil, Isaac de repente é transformado em um estrangeiro de sua própria casa, o que o leva a criar inúmeras com seu mais recente “robô”. – Este conto integra a coletânea de narrativas desenvolvidas para o projeto "Em um mês, um conto", cuja temática é Ficção Científica.